Cadastra-se para receber meu conteúdo

terça-feira, 30 de janeiro de 2018

Menina má - William March

uma bonequinha com um rasgo no rosto mostrando
como é por dentro.
Olá pessoas!!!

Trouxe um thriller psicológico, com certeza o melhor que já li. A leitura foi assustadoramente boa. Então vamos à história.

Rhoda é uma criança de oito anos, bonequinha, adorável, um filha perfeita, uma aluna estudiosa e aplicada. É organizada, sabe conversar com qualquer pessoa, muito educada, todos os vizinhos a adoram.
Vive com sua mãe, seu pai viaja trabalhando e por isso a educação dela fica por responsabilidade da sua mãe.

Apesar de parecer perfeitinha, Rhoda na verdade é uma atriz muito boa, mentirosa e calculista. Muito vaidosa e tem muita atração por prêmios e troféus. Por isso sempre que quer algo manipula as pessoas, usando suas armas de bonequinha com uma linda covinha.

Houve um campeonato de caligrafia, onde Rhnda almejava ganhar o prêmio que era uma medalha de ouro, tipo um broche, mas o pequeno Claude Daigle foi quem ganhou. Logo em seguida as crianças foram a um passeio e Claude não voltou deste passeio. O mesmo morreu afogado perto de um cais que era proibido as crianças irem, e quando resgataram ele a medalha não foi encontrada.

A mãe de Rhoda ficou preocupada de ela ter presenciado, mas ela chegou da excursão como se nada tivesse acontecido, assim Christine percebeu que havia algo errado com sua filha.
Lembrou de um caso que ocorreu ha um tempinho atrás quando uma senhora a prometeu uma medalha de herança (pingente de opala). Essa senhora ainda viveria muitos anos se olhássemos pelo tempo que seus familiares viviam, mas ela caiu da escada atrás de um gato. A filha da senhora disse que ela detestava e tinha medo de gatos, mas Rhoda afirmou que ela estava indo atras de um gatinho que miava, e exigiu a sua herança, nem se preocupando com a velha estatelada no chão.

"Não há motivo para pensar que Rhoda teve algo a ver com a morte de Claude Daigle. Não há nenhuma prova real contra ela. Não sei porque estou cismando com isso. Parece até que estou tentando montar um dossiê incriminando minha própria filha, sem prova nenhuma, baseado apenas na minha falta de juízo..."


Christine começou a observar mais obsessivamente sua filha e estava convencida que ela estava fazendo algo errado e que estava escondendo algo. Mas de qualquer forma, era sua obrigação proteger sua filha, mesmo que ela tivesse feito a coisa errada. Então começou a pesquisar casos em que crianças cometiam assassinatos e ficavam famosos por ter este talento e serem geniais em planejamento e fuga.

Nessa pesquisa Christine descobre coisas em que não esperava sobre si mesmo e sobre sua filha. Começa a se culpar por tudo que anda acontecendo e terá que tomar uma decisão muito difícil, como se fosse um final de um livro escrito por ela mesmo.