Cadastra-se para receber meu conteúdo

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Não conte para a mamãe

Olá pessoas!
Resultado de imagem para não conte a mamae
Trouxe hoje um livro chocante, onde retrata abuso sexual, aborto,violência doméstica e os sentimentos variam entre revolta, dó e desgraça.

"Os meus pais eram os meus proprietários: O meu pai controlava-me através de ameaças e a minha mãe com uma penosa manipulação dos meus sentimentos."


Antoinette que muda seu nome posteriormente para Toni, já mulher e adulta nos conta esta história de forma que ficamos a saber do presente e também vai nos contando do seu passado. Precisou de cuidar de sua mãe que encontra-se em leito de morte em um hospital, porém já descobrimos de inicio que o relacionamento entre as duas não foi dos melhores, que há uma mágoa ainda não resolvida. E descobrimos também que Toni, a segunda personalidade assumiu o controle da vida dela a fazendo tentar esquecer o passado, isso foi nos mostrado quando este passado vem na sua lembrança, fazendo-a reviver tudo novamente em memórias.

Então, Antoinette nos conta que vivia muito feliz com sua mãe quando criança, seu pai vinha em casa somente em alguns finais de semanas, devido servir na guerra. Sua mãe respondia com o mesmo amor. Porém tudo mudou quando ele volta para casa em tempo integral. Ela sempre amou seu pai, gostou bastante desta mudança, porém ele agia de forma estranha algumas vezes e quando ela tinha seis anos começou a ser abusada sexualmente por ele e agredida fisicamente desnecessário.

"O sorriso nos seus lábios era sempre o do bom pai, mas no seu olhar, eu via o mau pai, o que era invisível ao resto das pessoas e que habitava a sua mente."


Resultado de imagem para não conte a mamaeO título deste livro é a frase que ele dizia a ela: "Não conte para a mamãe, se você contar ela não vai acreditar, não vai mais amar você e vai ficar brava". Na primeira vez que isso aconteceu ela não acreditou nele e contou, pois sentia uma amor da sua mãe e segurança, mas como ele mesmo já tinha dito, ela não gostou e ficou brava com ela, e por este motivo não mencionou nada mais à sua mãe.


"(...)Fechei os olhos. Como agora não podia ler, inventei mentalmente uma história. Uma história em que era novamente amada, estava rodeada de amigas e era convidada para muitas festas."


Após os abusos ficam sendo mais e mais constantes, e como eles começaram a mudar muito de casa, mudavam as convivências familiares e escolares, ela não tinha amigos, era sempre sozinha. Sua mãe a cada dia ficava mais apaixonada pelo seu marido e não queria enxergar o quão malvado ele era com Toni, sempre dizia que ela que provocava o seu mal humor.

"-Porque o aborreces constantemente? Já sabes que ele tem mau feitio.-O seu tom era de cansaço.-Não podes fazer um esforço para não criar problemas?-Apercebi-me de uma nota de súplica na sua voz e compreendi que ela tinha tanto medo como eu."


A história além de ser trágica é assustadora e aterrorizante. Não tem como não se sentir tocada pelas coisas que acontecem com Toni e sua superação. É revoltante como que a sociedade encara uma gravidez indesejada, sem saber o procedente e acusando e penalizando a vítima que já está mais que machucada, neste caso aqui, ela por ser menor de idade foi levada a fazer aborto e teve sua vida por um fio, devido às consequências do ato. O momento que ela achou propício para contar a todos o que ela sofria por anos, achou que perceberiam como sofreu e como foi violentada sexualmente, mas novamente a sociedade virou contra ela e teve que enfrentar desprezo da sociedade. (suspiro forte)

E te conto o que me surpreendeu mais: Esta história é real!
A escritora foi a protagonista desta história, ficou do lado da sua mãe no último suspiro e aprendeu que o perdão está acima de tudo, porém ela conseguiu dar a volta por cima e não precisar mais daqueles que a machucaram. 

Quando vi a capa deste livro, o título e o desenho me chamaram muito a atenção, mas eu não sabia do conteúdo. Indico se você quer se derramar em lágrimas e quiser ter um pouco mais de raiva da humanidade.