Cadastra-se para receber meu conteúdo

terça-feira, 28 de junho de 2016

Cidade Banida - Ricardo Ragazzo

Olá pessoas

foto da minha pessoa segurando o livro
Trouxe mais um livro, este é de um escritor nacional, é o primeiro livro dele que tenho contato, mas já percebo seu potencial.
Este livro é uma ficção distópica, vem competindo com Jogos vorazes, Divergentes e etc. Agora vamos à história.

O livro nos conta que em um futuro próximo, a terra teve várias guerras e resultou em uma diminuição drástica da população mundial, não só humana, vegetal e animal também.
Com isso para melhor ordem a maior parte desta população restante ficaram em um lugar chamado Prima Capitale, regida pelo um governante controlador.

Neste novo mundo existem seres diferenciados, como por exemplo os Cognitos, que têm poderes de prever o futuro, e o governante usava desta grande arma para verificar em cada criança que nascia se a mesma iria no futuro dar trabalho e o tentar tirá-lo da frente do povo.

Nossa protagonista é Seppi Devone, a mesma quando bebê passou pelos Cognitos e foi condenada pela visão do seu futuro. Sua mãe, com todo o amor que só mães têm, arriscou tudo para salvá-la. Seu pai teve medo e tentou entregá-la pro governo, mas até por cima dele sua mãe Appia passou. Ela teve ajuda de uma pessoa, Giuseppe um homem de poder, o chamavam de Barão, o mesmo a ajudou a pegar sua filha e fugir de Prima Capitale do seu trágico destino, e foi morto pela vida delas.

A exclusividade de Seppi é que nasceu com uma mancha no ombro em forma de borboleta, isso marcava diferente: "Ele colocou a mão sobre a minha blusa, perto do ombro direito, rasgando a parte de cima. Expondo por completo a marca da borboleta. -Isso aqui.... Disse ele, apontando para minha marca de nascença. - É o que faz você valer tanto, garota. - A última palavra saltou de sua boca recheada de ironia. - Pode acreditar."


Após o acontecimento do seu nascimento, sua mãe foi obrigada a educá-la em um lugar afastado, escondida como menino há quinze anos. Seu animal de estimação era uma leoa chamada Diva e ambas conseguiam conversar entre si, em pensamentos. Este animal tinha asas para planar e era protetora de nossa protagonista. Seppi era corajosa, teimosa, justa e o mais legal que não é sempre boazinha, fazendo com que torcemos mais com a personagem.

Na aldeia onde morava tinha dois únicos amigos, Petrus e Timmo e em um desses dias de aventuras pela mata, por descuido seu, Timmo a viu como menina urinando e com raiva por anos de mentira da parte dela correu para contar para todos sobre aquele engano. O que Seppi não sabia é que Petrus já estava ciente da sua situação e inclusive foi treinado para estar do lado dela sempre que precisasse, pois chegaria um dia que iria necessitar.

O maior problema para Seppi é que nem ela teria explicação de porquê sua vida era daquele jeito, sua mãe somente a aconselhava "Quanto menos os outros souberem, mais poderemos conviver com eles"
Após um ataque de caçadores de recompensa, seu mundo desabou, teria que fugir e carregando um peso de engano que viveu sua vida inteira e estava cansada disso.

"-E por que eu deveria temer meu fim? Ao menos, ele não carrega ângulos ou objetivos obscuros, Não trama nem engana. A diferença entre a minha morte e a minha vida é que, a primeira ao menos, seria mais honesta comigo."


Outros personagens que entram na história é Lamar, filho de Gilseppe, vem salvá-la como seu pai fez e fica do lado dela em todas as batalhas. Indigo, uma jovem que viveu sua vida toda amargurada por seu pai ter desejado ter a sorte do pai de Seppi, ele a idolatrava que morreu por ela, e Indigo não acha justo o desprezo, queria ser ela, queria ter a atenção do pai, mas ele só pensava na heroína que ainda nem tinha nascido.

Na fenda onde se refugiou conhecemos um outro ser estranhíssimo. A rainha da fenda Maori. Era um ser que assustava quem olhava, duas mulheres, porém uma com a outra na coleira. Uma era velha, olhos e bocas tampadas por suturas.Outra com olhos sem pupilas. Conversava pela que a carregava na coleira e sem a mesma falava na mente das pessoas, tinha o poder de fazer as pessoas enxergar o que ela quer, reprogramando o cérebro. Além dela existem outros seres diferenciados que somente tem neste universo e o legal é que o autor fez um glossário do universo Glimpse que por mim foi várias vezes consultados.

A história é enorme, Seppi segue a fim de salvar sua mãe e o povo. Me chocou bastante uma criança que ela descobriu em Prima Capitale, fugiu com ela e deu o nome de Esperanza, ela tinha pele pedregosa e acreditava que teria que salvá-la
, como um dia foi salva.
Além disso teve uma luta com um outro ser chamado Oni e temos um mistério por detrás da existência deste ser que chorei...

Enfim, este livro tem tudo para ser um sucesso nacional. Distopia, boa escrita, um ótimo universo totalmente original, nada copiado de outros universos. Personagem principal não é toda certinha, apesar de ter o pensamento de querer salvar o mundo. Indico e amei a leitura.