Cadastra-se para receber meu conteúdo

sexta-feira, 5 de setembro de 2014

Orange is the new Black - Piper Kerman.


Oi. Depois de quase um mês, voltei. Estava ocupada com estudos, por isso demorei quase um mês para acabar.


Vou antecipar aqui uma informação: O seriado do Netflix é uma versão adaptada deste livro, então foram modificadas algumas coisas. Se você assiste o seriado vai perceber o conto um pouco diferente.

A história é contada por Piper Kerman, uma americana que se mudou para estudar teatro, porém não terminou seus estudos, pelo contrário, arrumou emprego de garçonete e se envolveu com Nora. Essa Nora era muito amiga dela e acontecia que sumia por uns tempos e depois voltava cheia da grana, então como eram amigas, Nora compartilhou com Piper que traficava drogas. Assim elas moravam juntas e compartilhavam o mesmo crime de transportar drogas de um lugar para outro. Mas Piper percebeu que não era aquilo que queria então se mudou para São francisco, arrumou um emprego como produtora e acabou seu vínculo com Nora.

Piper nos conta sua vida passada e o que acontecia dali em diante. Conheceu Larry. Ambos eram apaixonados um pelo outro, tanto que ele foi transferido de cidade e ela largou tudo para ir com ele. Quando tudo estava dando certo na sua vida, já tinha até esquecido sua aventura de adolescente foi indiciada por lavagem de dinheiro e tráfico de drogas.

Larry não conhecia o passado dela, mas quando ficou ciente, mesmo assim permaneceu do seu lado. Seu advogado aconselhou a admitir o erro, uma vez que o crime aconteceu a quase cinco anos atrás.
Teve apoio de amigos, família e a família do Larry também a apoiou.

Piper se apresentou e quando ia para julgamento, porém o mesmo foi adiado por ter um outro criminoso muito perigoso em prioridade. Então tocou a vida pela frente, esperando o que a justiça americana faria com ela. Ficou sabendo pelo advogado que por ela ter se apresentado e admitido sua penalidade seria diminuída e não iria para prisão máxima de segurança, mas mesmo assim era incerta do seu futuro.

Após mais ou menos cinco anos novamente foi chamada julgamento, onde admitiu seu erro e mostrou ao juiz que estava arrependida por fazer todos sofrerem. Foi condenada a treze meses de carceragem em Danburry, onde ela mesma se apresentou no dia marcado.


Despediu de seu noivo, retirou todos os pertences e foi entrega nas mãos do presídio.
Após essa parte ela nos conta como foi sua recepção em Danburry, como foram suas companheiras, quais regras tinha que seguir, etc.

Piper nos descreve diversas companheiras, nos conta vários eventos que acontecem na prisão, um desses eventos é o dia das mães onde era permitido a visita dos filhos. Ela nos conta mês a mês o que acontece. No terceiro mês conseguiu um trabalho de eletricista, depois pediu transferência pois o AP responsável abusou da autoridade sexualmente envergonhando ela, mas nesse sentido sexual ela nos conta que foi tranquilo.

Piper no início tinha que levantar de madrugada para retirar neves do pátio, depois de um tempo ela achava esse tempo a melhor hora do dia. Acostumou a correr. Corria até duas horas por dia. A alimentação era feita e servida pelas próprias presas que trabalhavam nessa área e algumas amigas ensinavam a ela a guardar alimentos do almoço como pedaço de frango para fazer um "banquete" à noite. Também aprendeu a fazer yôga com uma presa, que foi muito importante para conseguir permanecer sã.

Muitas coisas aconteceram, muitas amizade se criou. Viu várias colegas irem embora. No período dela presa, sua avó faleceu e muitas outras coisas. 

Sempre Piper estava lendo algum livro ou emprestando para outras presas. Recebia muitas cartas o que também ajudava a conectar com pessoas que importavam com ela.

Já quase no fim da sua pena foi transferida para outro local, pois tinha que testemunhar contra Jonathan Bibby e lá encontra Nora... Isso mesmo a mesma que a introduziu no crime e achava que ela que denunciou a sua participação e assim sendo presa.
Esse novo local é de segurança máxima e é totalmente diferente de Danburry, não tinham nada para fazer e as presas tinham respeito por ela, pois ela já tinha cumprido quase sua pena toda e quase todas ainda nem tinham sido julgadas.

Piper conta esta história de sua vida e sobreviveu de uma maneira boa, quase sempre estava de bom humor, sabendo que estava cumprindo somente porque escolheu fazer errado. É demostrado também o problema carcerário, em relação a alimentação, superlotação, falta de funcionário ou funcionário enfurecido e falta de reabilitação. 

O blog Iba mostra a diferença do seriado e do livro e gostei de saber o que aconteceu com ela nesse período.

Blog IBA clique aqui ou aki.